Empatia e presença digital da sua marca em Portugal

Tempo estimado de Leitura: 7min

Postado em 25 de fevereiro de 2021 /
Compartilhe:

A EMPATIA E A PRESENÇA DIGITAL DA SUA MARCA

Um fato curioso em Portugal, assim que desembarquei com a missão de trazer nossa empresa de marketing digital para cá. Entre outros fatores, foi constatar a beleza da cidade de Lisboa. Não somente o que se pode ver, como a sua arquitetura, as ruas estreitas e sinuosas de seus bairros centenários, os monumentos e os diversos miradouros. Acima de tudo, o que realmente me cativou está mais relacionado com a essência da cidade. Uma sensação de paz, combinada entre o céu limpo e azul quase que durante o ano todo, com a luz natural que reflete no rio Tejo e traz uma atmosfera impressionante para a cidade. Uma empatia direta, que reuniu elementos que valorizo e contribuiu para a tomada de decisão de estabelecer Lisboa como ponto de partida para a empresa e para a minha família no país. Além disso é claro, possuir maior proximidade a potenciais clientes e boa infraestrutura.   

Nesse sentido, podemos trazer um paralelo para o mundo dos negócios, ambientado na presença digital da sua marca em Portugal, que tem a ver diretamente com a empatia. Sua empresa e sua marca estão cada vez mais correlacionadas a este senso intrínseco que aproxima seu cliente através de valores semelhantes, posicionamento coerente e porque não, humanização da sua marca.

SOBRE EMPATIA E HUMANIZAÇÃO DA MARCA

Ainda que a inteligência artificial e a automação estejam em forte desenvolvimento. Cada vez mais presentes em campanhas e ações digitais, conseguindo incríveis entregas de conteúdo personalizado e relevante para captar a atenção de um público alvo exigente, dando sinais claros de que é uma evolução inevitável. Na prática, estamos mais acostumados com experiências do mundo físico, em que a flexibilidade, o contato e as relações humanas estão evidentes. Aí está o ponto que faz transformar e aproximar. Este equilíbrio entre o que é positivo na ótica da performance, com a experiência mais genuína da sua marca, produto ou serviço. É o tom para estabelecer essa relação de empatia e humanização, de forma integral em todos os pontos de contato. 

 

Homem toma café enquanto olha o celular, em todos os pontos de contato a empatia com sua marca deve ser ativada.

Dados extraídos do estudo anual sobre empatia das marcas em Portugal, “The Brand Empathy Report (Who-Cares.pt)”, demonstram essa importância. Fundamentado para conhecer a percepção dos portugueses sobre a capacidade das marcas responderem às suas necessidades, sentimentos e dificuldades. A pesquisa classificou empresas totalmente digitais como Google, YouTube e Facebook entre as 10 mais humanizadas. Na lista estão também empresas do setor alimentício (Compal, empresa de sucos e Olá – semelhante a Kibon, marcas da Unilever), cosméticos (Nivea) e 3 das principais redes de supermercados presentes no país: Continente, Lidl e Pingo Doce. Do mesmo modo, especificamente em relação à empatia e respondido de forma espontânea, essas 3 empresas estão entre as 5 com maior percepção de empatia entre os portugueses, juntamente com Nestlé e Vodafone.

O QUE IMPORTA PARA AS NOVAS GERAÇÕES?

Sob o mesmo ponto de vista, no ecossistema corporativo. Não é de hoje que a empatia está associada a níveis elevados de criatividade, a melhora na produtividade e a maiores índices de fidelização de clientes. Desse modo, ainda na sequência deste estudo, sobre as interações que as marcas possuem com seus consumidores. Responsáveis por fazer percebê-las com características humanas, como personalidade, ideais, princípios e atitudes. O chamado antropomorfismo de uma marca, que permite construir relacionamentos com os seus consumidores da mesma forma que seres humanos constroem relações entre si.

Jovem acessa o notebook sorridente, na varanda. A presença digital. alinhada com a proximidade e empatia são importantes fatores para a decisão de consumo entre as novas gerações.

As novas gerações de consumidores demonstram uma maior afinidade com empresas que possuem essas características. Em resposta à pergunta, qual a marca que escolheria para ser sua amiga? Instagram, Google, Youtube, Lidl e Compal foram as 5 melhores entre os jovens portugueses de 18 a 24 anos.

RELAÇÕES GENUÍNAS

Como reflexão e pontos a considerar entre o sucesso das marcas que foram destacadas neste estudo, com a realidade de nossas empresas. No final do dia, cabe a avaliação do melhor que pudermos adaptar e concentrar esforços para adequar a comunicação com nossos clientes, de forma transparente, próxima e verdadeira, no tom de voz que nosso público espera. Tanto no ponto de contato físico, mas principalmente no ambiente digital, onde as relações necessitam cada vez mais desta proximidade. Que possam destacar os valores, a essência de seu negócio, seja ele voltado para uma solução, produto ou serviço entre empresas ou para o consumidor final. Aqui em Portugal o caminho é promissor, desde que a sintonia e a empatia aconteçam.

 

Para saber mais sobre marketing em Portugal, acesse também esse artigo 😉

Soluções viáveis para o comércio eletrônico em Portugal

 

Sobre o autor,

Adriano Sforcini Zunino

Responsável pela expansão e sócio da bauc. em Portugal. Agência de marketing digital que alia estratégia e conteúdo, desenvolvimento e growth performance conectadas em equilíbrio com o brand experience. Pilares essenciais para transformar empresas por meio do mindset digital.

Tem larga experiência na área comercial e prospecção de negócios, além de relacionamento com clientes e ações de brand experience. Entende que seu maior propósito seja conectar empresas às iniciativas que trazem benefícios às pessoas e ao planeta.

 

 

Compartilhe:

Posts Relacionados


Soluções viáveis para o comércio eletrônico em Portugal
Comércio Eletrônico em Portugal

ADAPTABILIDADE E MUDANÇA DE HÁBITO DO CONSUMO Diria que chega a ser agradável caminhar até um supermercado próximo de casa Read more

A visão de marketing em Portugal no olhar de uma agência digital

A evolução constante do mercado português, com o PIB (Produto Interno Bruto) que cresce há seis trimestres consecutivos acima da Read more