Os sete pilares de sucesso para abrir seu negócio em Portugal

Postado em 8 de julho de 2020 / , ,

Caminhar por Lisboa, Cascais, Porto e Coimbra é realmente uma experiência incrível. Nos últimos cinco anos, nós dá Atlantic Hub, temos percorrido muitas cidades portuguesas apresentando aos brasileiros novas oportunidades para abrir ou internacionalizar sua empresa em Portugal.

Esta jornada, porém, não é simples. Nossa história e surgimento remonta, inclusive, o fracasso que presenciamos de centenas de brasileiros ao tentar fazer este caminho sozinho.

Somos uma nação empreendedora. Acreditamos sempre que nosso ímpeto e coragem podem fazer a diferença em detrimento de planejamento, estudo ou mesmo análise de viabilidade.

Criar algo inovador e, desta forma, empreender também parece ser algo tranquilo. Porém, garanto para você que quando a questão é levar ou abrir um negócio para Portugal, o caminho precisa ser bem mais planejado.

A jornada de empreender em Portugal deve sempre começar pela inovação

Neste artigo quero aprofundar no que chamo de ‘os sete pilares de sucesso’ para abrir seu negócio em Portugal. Mas antes de falar individualmente de cada pilar, chamo a atenção sua para dois pontos cruciais:

1 – Empreender está diretamente ligado ao mindset. Sim, apenas empreende aquele que tem consciência da sua capacidade de transformação do mundo.
2 – Empreender deveria ser, acima de qualquer outro ponto, uma reflexão individual do porquê construímos empresas. Elas, nossas empresas, devem nascer do que acreditamos em nossa mais pura essência.

Gosto das questões abaixo que ajudam a responder se sua empresa faz sentido ao mundo. Sugiro a leitura e reflexão sobre elas, que tenho certeza que ajudará você a levar e abrir seu negócio em Portugal.

O que você ama fazer?

Aquilo que você ama fazer, você faz bem? (Pode ser apenas hobby, não um empreendimento)

As pessoas pagariam pelo que você faz?

Repare que não são perguntas complexas. Elas, no entanto, ajudam você a ter certeza de que uma jornada empreendedora deve estar ligada à sua existência como ser humano. Sendo assim, você causará impacto no mundo e, com certeza, nós poderemos ajudá-lo.

Também vale ressaltar que as questões acima levam a nossa reflexão sobre negócios de qualquer ramo ou setor.

A verdade é que não existe um segmento que você não possa aplicar estes questionamentos. De uma cafeteria, restaurante, indústria ou empresa de tecnologia, você pode responder e começar seu processo de levar ou abrir seu negócio em Portugal conosco.

Acrescento ainda um olhar diferenciado sobre inovação no modelo pretendido. Saiba que boa parte do sucesso de um empreendimento em Portugal está diretamente conectado com o grau de inovação na proposta de valor oferecida aos clientes.

Para ajudá-lo a aprofundar a importância da inovação neste processo, disponibilizo abaixo um outro artigo onde o foco é justamente esse.

https://www.atlantichub.com/2020/02/27/inovando-para-internacionalizar/

 

Os pilares base para o sucesso do seu empreendimento em Portugal

Levar um negócio existente ou abrir um novo em Portugal não precisa ser um ato de desespero ou despreparo.

Dentro da Atlantic Hub, criamos um estudo de aderência ao mercado que, analisando sete pilares, constrói-se uma visão de valor do negócio pretendido. Este estudo de aderência chama-se Market Fit.

Nele, estudamos a fundo sete pontos que expõem as possibilidades, complexidades, marcos regulatórios, mercado, ecossistema de negócios, concorrência e ainda uma análise Swot.

Vou aprofundar cada um destes pontos em uma ordem que acredito ser a jornada cronológica de compreensão se o caminho de abrir ou levar um negócio para Portugal faz sentido para você.

1 – Tendência:

Tendência não pode ser definida como o que as pessoas estão comprando ou consumindo no momento. Você ficaria surpreso ao saber quantas empresas são criadas apenas porque estão na moda.

Paleterias, Quiosques de açaí ou mesmo lanchonetes oferecendo o autêntico pão de queijo estão sempre chegando para nós.

E nosso estudo, analisamos o que podemos chamar de comportamento. Tendência está diretamente ligado ao comportamento das pessoas.

E então, perguntamos: Por que elas estão tendendo a utilizar algo ou interagir com este produto desta forma? Mergulhamos no humano para trazer as respostas mais assertivas possíveis, alinhadas com a proposta de valor pretendida.

2 – Mercado:

Uma tendência positiva de consumo do seu produto ou serviço não é garantia de vendas se não existir mercado. Construir ou abrir mercado é algo que leva tempo e consome uma fortuna de investimento.

Certa vez perguntaram ao Steve Jobs como ele criava seus produtos. Ele respondeu: “Eu crio o que nem as pessoas sabem que precisam”. Bem, este era Steve Jobs.

Compreender o tamanho do mercado, seu poder de consumo e onde ele está é um excelente caminho para começar ações assertivas de inserção no segmento pretendido.

Portugal, em muitos casos já analisados por nós, demonstra uma alta idade na fundação de muitas empresas. Para nós brasileiros, tal dado demonstra a oportunidade de empreender levando nosso dinamismo a um mercado mais conservador.

3 – Concorrência:

O melhor exemplo do que não fazer ou mesmo do que fazer quase sempre estão em nossos concorrentes.

Compreender quem eles são, como se posicionam, quanto faturam, onde estão e como agem no mercado traz para o empreendedor que deseja abrir ou levar seu negócio para Portugal, ótimas oportunidades de refinar, alinhar ou mesmo corrigir a estratégia de entrada em Portugal.

Vamos a fundo neste estudo. Trazemos em nosso relatório tudo o que é possível para construir a mais apurada a proposta de valor pretendida para Portugal.

4 – Aspectos Jurídico:

Levar ou abrir um negócio em Portugal é bastante diferente do que estamos acostumados no Brasil.

Embora não se pode negar que o país europeu é infinitamente mais simples de maneira geral. A realidade tributária deles, por exemplo, é bem diferente da nossa.

Trazemos no estudo os marcos legais necessários para empreender no setor pretendido, como a carga tributária inerente ao setor e ainda, possíveis licenças que sejam necessárias para empreender.

Já estudamos alguns casos em que há existência de marcos regulatórios impeditivos para estrangeiros e que inviabilizam o empreendimento. Compreender estes aspectos é fundamental para o sucesso.

Como nosso próprio nome já diz, somos um Hub. Temos hoje em Portugal parceiros, escritórios contábeis e jurídicos prontos para, em conjunto, sermos seu porto seguro em terras irmãs.

5 – Opções de Financiamento:

Acredito sinceramente que este seja um dos pontos que mais nos questionam. Todo empresário brasileiro que quer abrir ou levar uma empresa para Portugal nos pergunta quais linhas de financiamento existem no país estrangeiro.

Sim, saiba que elas existem e as taxas de juros anuais são próximas do que pagamos ao mês no Brasil. Porém, consegui-las não é algo tão simples como alguns comentam.

Em primeiro lugar, é possível submeter uma proposta apenas às linhas existentes com um negócio em operação em Portugal. Não existe capital para quem não começou sua jornada de empreender por lá.

Saiba que o relatório que comentei neste artigo, o Market Fit, quando finalizado e entregue contempla boa parte do que você irá precisar para montar sua proposta de submissão a investimentos em Portugal.

Para saber mais sobre o Market Fit, veja o artigo abaixo.

https://www.atlantichub.com/2019/10/30/o-porque-do-market-fit/

 

Outro ponto que destaco ainda é que em Portugal existem centenas de linhas de financiamento. Muitas são derivadas da união europeia, outras do governo federal português, muitas dos governos municipais e ainda outras dezenas de canais de fomento. Portanto qual delas é a melhor para você?

Veja, não é simples. Por isso, desenvolvemos nosso estudo que com as fases seguintes no processo de abrir ou levar sua empresa para Portugal, analisamos dentro das possibilidades, o local que irá abrir seu empreendimento e quais as melhores linhas que você poderá fazer uso.

Tendo claro o porquê da necessidade do capital pretendido, fazendo a busca por ele no local e região certa e estruturando o processo em si, Portugal com certeza oferece uma enorme possibilidade para nós, brasileiros, de empreendermos com um bom fluxo de caixa.

Como último ponto sobre o quesito financiamento, alerto sobre a existência de consultorias – mesmo portuguesas – que cobram de empresários brasileiros de 4 a 6 mil euros por estudos, para a obtenção de financiamentos antes mesmo destas empresas existirem em Portugal.

Caro empresário, tenha cuidado! Também existem, do outro lado do oceano, consultorias não muito honestas. Não acredite nunca em dinheiro fácil.

6 – Ecossistema:

Portugal tem se destacado nos últimos dez anos como um importante polo na indústria de tecnologia. Porém, chamo a atenção que existe em Portugal um grande ecossistema de empresas de diversos setores.

Turismo, por exemplo, é um dos maiores ativos da economia. Destaco assim todo o segmento de alimentação, entretenimento ou mesmo consumo pessoal, pois a cadeia de turismo alimenta muitos setores.

Portugal tem, sim, uma grande força em tecnologia. Destaco aqui as cidades de Lisboa e seus arredores, Coimbra e Porto. Grandes centros em que fervilham oportunidades.

A indústria têxtil também tem grande atuação com a indústria farmacêutica. Em uma ocasião, analisamos um grande projeto neste setor com boas oportunidades de investimento.

O setor vinícola tem sempre enorme destaque, oferecendo aos brasileiros a oportunidade de arrendar ou atualizar vinhas em estado de abandono, abrindo grandes possibilidades em um mercado sempre crescente.

Portugal é o maior consumidor de vinho do mundo com cerca de 72 garrafas por habitantes. A título de comparação, nós brasileiros consumimos a média de 3 garrafas ano.

No setor da construção civil temos especial atenção. Muitos somos procurados para analisar oportunidades neste segmento e, literalmente, reside sobre ele muita coisa interessante. Vale mesmo a pena um estudo para abrir ou levar sua empresa deste segmento para Portugal.

7 – Analise Swot

Percorremos seis pilares, dando a você muitos insights para abrir ou levar seu negócio existente ou novo para Portugal.

Para finalizar, gostaria de dizer que ao final do estudo, você tem em mãos uma análise Swot, tendo como ponto de partida todo o preenchimento que você fez em nossa base de dados do seu atual negócio ou mesmo o negócio pretendido.

Em posse desta análise você poderá ter as melhores informações para uma tomada de decisão mais assertiva possível. Saiba que que ao percorrer esta jornada, chegamos, literalmente, ao começo dela.

Abrir ou levar uma empresa para Portuga é uma decisão de vida. Estarmos com você neste processo pois entendemos que ele é algo definitivo e extremamente sério.

Jamais comece um plano de abrir ou leva uma empresa para Portugal sem que isso seja um projeto de vida. E se seu projeto de vida é Portugal, saiba que a Atlantic Hub é a ponte para construir sua melhor fase!

Conte conosco!

 

Sobre o autor,

Benício Filho.

Country Manager Brasil da Atlantic Hub.

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela UNIFESP em Neurologia Oftalmologia na área de Empreendedorismo e pós graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, Sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal), atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio), além de participar de programas de aceleração como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros. Palestrando desde 2016 sobre temas como Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência, já esteve presente em mais de 300 eventos (número atualizado em dezembro de 2019). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul) bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas”.