Como é o hub de inovação da Atlantic Station em Portugal

Tempo estimado de Leitura: 7min

Postado em 7 de junho de 2022 /
Compartilhe:

A inovação pressupõe abertura de pensamento. Acredito que poder interagir com outras mentes nos oferece uma grande oportunidade de inovar. 

Imagine comigo, quantas situações resolvemos da nossa maneira sem nunca questionar o porquê de tais soluções ou caminhos?

Continue nesta linha e reflita: quanto nossas empresas ganhariam se em nosso dia a dia pudéssemos interagir e aprender como outras pessoas de outras culturas? Como elas resolvem seus problemas sendo que muitos deles são iguais aos nossos? 

Bem, isso é um pouco do que acontece cotidianamente no Atlantic Station. Somos um hub de empresas que acredita na internacionalização e tem a inovação como um dos pilares dos seus modelos de negócios. 

Mas o ativo importante de aprender a partir de nossos relacionamentos não reside apenas no trabalho diário. O Atlantic Station tem desenvolvido programas de inovação para auxiliar empresas e ecossistemas brasileiros a abrirem suas possibilidades para o mundo analisando-o.

Apenas em 2021, o hub de inovação da Atlantic Station recebeu mais de 1.000 empresários, em sua grande maioria brasileiros que, sozinhos ou em missões, participaram de atividades em nosso espaço.

Na semana do Web Summit, uma missão do Sebrae SC levou mais de duzentos empreendedores para um dia completo de palestras e workshops.

Momentos de happy hour e apresentações com especialistas também fizeram parte das atividades que comporam uma agenda recheada de informação, aprendizado e troca de experiências. 

Quando você estiver por Portugal, trabalhe um dia conosco. Venha conhecer e fazer boas conexões com as empresas instaladas em nosso ecossistema.

Quero agora aprofundar com você alguns pontos importantes sobre nosso programa de inovação, uma vez que o Atlantic Station faz parte da rede nacional de incubadoras.

 

EMPRESAS E ECOSSISTEMAS DO BRASIL PODEM SE CONECTAR COM O MUNDO PELO ATLANTIC STATION 

 

Trabalhamos com bastante afinco para criar programas que conectem ecossistemas e empresas brasileiras ao mercado Europeu. Sempre gosto de comentar que Portugal é a porta de entrada apenas para um mercado com mais de 500 milhões de habitantes. 

Algumas associações do Brasil – cito o caso do Sebrae, por exemplo, além, também, de sermos acionados por diversos outros movimentos – nos solicitam programas específicos de conexão e mentoria com o ecossistema europeu.

Nós desenvolvemos estes programas em sua grande maioria sob medida à necessidade, conectando estas empresas à empresas locais e players do mercado para validar suas soluções, bem como gerar oportunidades de negócios. 

Em uma edição no ano passado para um dos programas do Sebrae, geramos mais de 300 conexões com vinte empresas selecionadas para o programa.

Outro exemplo de programas desenvolvido pelo Atlantic Station foi o programa Start Out da APEX Brasil, em 2021.

Participaram mais de 30 startups desta etapa do programa em Portugal, que teve duração de seis meses. 

Mas não se engane, não atuamos apenas com movimentos ligados ao ecossistema de inovação ágil. Com parcerias por todo o Brasil, desenvolvemos programas para acesso ao mercado Europeu para segmentos muito tradicionais como Metal Mecânico, Construção Civil ou ainda Agritech.

Empresas que desejam estabelecer uma área de inovação em Portugal podem contar com a Atlantic Hub também. Neste quesito, mais de cem projetos já realizados pela Atlantic Hub apoiam o expertise que gerou a própria Atlantic Station.

Inovar não deveria ser um ato isolado dentro das empresas. Assim, pensamos e criamos o Atlantic Station.

Caso você tenha se interessado em conhecer mais nossos programas, fale conosco. Quero, porém, aprofundar um último tema. 

 

INTERNACIONALIZAR DEVE ESTAR CONECTADO À INOVAÇÃO 

 

A inovação é parceira eterna da internacionalização. Não acreditamos em um movimento de internacionalização que negligencia a nova empresa a ser criada no país desejado, por isso tenha em seu DNA inovação.

Pensando neste ponto, além de tudo que você já compreendeu que podemos oferecer a você, criamos uma jornada com uma metodologia própria. 

Esta metodologia apoia nossos programas como Scale Out. Compreender como as fases criadas por nós auxiliam a internacionalizar é fundamental para o sucesso deste projeto. 

Deixo aqui meu convite para aprofundarmos o tema e refletirmos mais sobre ele. 

Mas se você ficou em dúvida sobre algum ponto que escrevi neste artigo, agende um momento para conversarmos e juntos, discutiremos a melhor oportunidade. Temos uma rede incrível de parceiros que poderão ajudá-lo e sobre isso, não tenho dúvida que encontraremos a melhor opção e forma para você. 

Forte abraço! 

 

 

Sobre o autor,

Benício Filho – Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente também está concluindo o curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco. Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador dá Palestras & Conteúdo, Sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio fundador da Agência Incandescente, sócio fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal), atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio), além de participar de programas de aceleração como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros. Palestrando desde 2016 sobre temas como Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência, já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Compartilhe:

Posts Relacionados


Como nasceu o Atlantic Connection e os impactos para os empresários

No artigo de hoje, vamos trazer para você um pouco de como nasceu o Atlantic Connection e quais são os Read more

Estratégia Omnichannel: as principais tendências do mercado

O conceito omnichannel não é algo novo para nós. Como seres humanos temos múltiplos canais de interação. Logo, precisamos compreender Read more

Atlantic Station: o ponto de partida para a internacionalização da sua empresa

O ano de 2011 foi marcante para Portugal. Foi quando o país sofreu uma de suas piores crises, mas também Read more

Os 10 erros mais comuns em um processo de internacionalização

Ao longo dos últimos oito anos, estudamos e apoiamos centenas de empresas no processo de internacionalização.  Acreditamos que internacionalizar é Read more