Endereço fiscal em Portugal: como adquirir o seu

Tempo estimado de Leitura: 10min

Postado em 14 de julho de 2022 /
Compartilhe:

Se você tem intenção de morar, ou abrir ou internacionalizar uma empresa em terras lusitanas, então este artigo foi feito para você. Aqui, você verá como adquirir o seu endereço fiscal em Portugal. 

Não é incomum que as pessoas precisem mudar de residência, mantendo-se ou não na mesma cidade. Apesar de os dados mostrarem que isso é um pouco menos frequente em países desenvolvidos, ainda é algo muito recorrente na vida da maioria das pessoas. Afinal, são inúmeros os motivos que nos levam a mudar de casa. 

No entanto, devemos ter em mente que além dos processos padrão de mudança, podemos também ter a necessidade de alterar o nosso endereço fiscal. Mas afinal o que é isso? Qual a diferença dele para a morada fiscal?

Vamos explicar um pouco melhor sobre o que é isso, a importância de mantê-lo atualizado e como este processo deve ser feito.

 

 

O QUE É ENDEREÇO FISCAL?

 

O entendimento de endereço fiscal – também chamado de morada fiscal, residência fiscal ou domicílio fiscal, dependendo da sua finalidade -, de acordo com a lei, em especial, segundo o Artigo 19º do Decreto-Lei nº 398/98, para as pessoas singulares é o local da residência habitual, para as pessoas coletivas é o local da sede ou direção efetiva ou do seu estabelecimento em Portugal. O domicílio fiscal também se refere à caixa postal eletrônica.

Explicando de uma maneira mais simples:

– A morada fiscal, residência fiscal ou domicílio fiscal, para pessoas físicas, nada mais é do que o endereço de sua casa;
– Para pessoas jurídicas (empresas, organizações, etc.), o endereço fiscal é onde a empresa é tradicionalmente sediada (em caso de mais de uma unidade).

Para fins de consulta, de acordo com o Artigo 24º do Decreto-Lei nº 14/2013, alterar o endereço fiscal é obrigatório: “Sempre que se verifique qualquer alteração dos elementos constantes do registo deve o contribuinte (…) comunicar as respectivas alterações à AT, no prazo de 15 dias a contar da data da ocorrência do fato determinante da alteração, (…)”.

 

REQUISITOS PARA ADQUIRIR O ENDEREÇO FISCAL OU MORADA FISCAL

 

Se você está considerando viver ou trabalhar em Portugal, tem que cumprir uma das seguintes condições para obter a seu endereço fiscal ou morada fiscal em território português:

– Permanecer mais de 183 dias, seguidos ou não, num período de 12 meses com início ou fim no ano em que pede a morada fiscal;

– Ter uma habitação (própria ou arrendada), bem como de intenção atual de a manter e ocupar como residência habitual, num qualquer dia do período referido na alínea anterior;

– Ser tripulante de navios ou aeronaves, desde que esteja a serviço de entidades com residência, sede ou direção efetiva em Portugal;

– Desempenhar funções ou comissões de caráter público no estrangeiro, a serviço do Estado Português, inclusive funções de deputado no Parlamento Europeu;

– Ter nacionalidade portuguesa, mas com residência fiscal em outro país, território ou região, sujeito a um regime fiscal claramente mais favorável que conste da lista aprovada pelas finanças em Portugal.

Quem possui domicílio fiscal em Portugal precisa ficar atento à necessidade de declarar a renda no país e cumprir corretamente com as obrigações tributárias. 

Quem trabalha no país e recebe rendimentos tributáveis deverá necessariamente pagar imposto em Portugal. Caso o trabalhador seja subordinado, o imposto será retido na fonte.

 

SAÍDA DEFINITIVA DO BRASIL PARA EFEITOS FISCAIS

 

É muito importante lembrar que realizar a saída definitiva do Brasil, para efeitos fiscais, terá consequências e a tributação pode aumentar. Mas, isso se a pessoa possui renda no Brasil. 

Passará a incidir 25% sobre as pensões, por exemplo. Ao se tornar não residente, o brasileiro passa a receber o tratamento quase como o de um estrangeiro, da seguinte maneira:

– Passa a sofrer tributação diferenciada;
– Terá um tratamento distinto em relação à manutenção de conta bancária no Brasil e movimentação financeira (na prática, essa dinâmica fica bem mais complicada);
Passa a ter incentivos de investimentos no país;
– Fica isento de entregar a Declaração de Imposto de Renda à Receita Federal, se não receber rendimentos tributáveis no país. 

Mas há alguns impostos que ainda serão tributados no Brasil, mesmo que a pessoa viva em Portugal, como, por exemplo:

– No caso de manter imóveis no Brasil;
– No caso de rendimentos de aplicações financeiras;
– Venda de bens e direitos situados no Brasil.

Já o brasileiro que ainda for considerado residente no Brasil terá os seus rendimentos recebidos do exterior tributáveis.

 

 

VALE A PENA TROCAR O DOMICÍLIO FISCAL?

 

Vai valer a pena trocar o domicílio fiscal quando a tributação para residente em Portugal for mais vantajosa e quando a pessoa já não concentra suas principais atividades no Brasil.

Há, em Portugal, um regime especial para quem se muda para o país, que se chama Regime dos Residentes Não Habituais em Portugal. Esse é um modelo de tributação privilegiada que pode ocorrer em alguns casos, quando a pessoa realiza uma atividade de alto valor agregado ou para aposentados.

Os rendimentos obtidos em Portugal terão uma tributação fixa de 20%, independentemente do salário ou dos rendimentos obtidos como profissional independente. Rendimentos obtidos fora de Portugal terão isenção durante 10 anos.

 

DOMICÍLIO FISCAL EM DOIS PAÍSES

 

É possível manter domicílio fiscal em ambos os países. Em certos casos, uma pessoa pode ser considerada residente fiscal em dois países, em que ambos podem exigir o pagamento de impostos sobre a totalidade do rendimento obtido pelo indivíduo. 

Felizmente, muitos países dispõem de acordos que evitam essa dupla tributação. Mas, pela lei portuguesa, é residente fiscal quem passa mais de 183 dias no seu território, além de outros casos em que a pessoa demonstra ânimo de fixar residência definitiva.

Se você ficou interessado em mudar seu domicílio fiscal para Portugal, saiba que é necessário fazer a Comunicação de Saída Definitiva à Receita Federal do Brasil. O prazo para fazer esta declaração é até o final de fevereiro do ano seguinte ao da saída.

Além disso, você terá algumas outras medidas a tomar. Será importante informar ao gerente do seu banco. Uma vez comunicada a saída definitiva, sua conta terá outra qualificação e passará a ser uma conta de não residente. Deste modo, sua conta terá restrições em movimentações e controles mais rígidos no Banco Central do Brasil.

 

 

Sobre o autor,

Benício Filho – Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente também está concluindo o curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco. Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador dá Palestras & Conteúdo, Sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio fundador da Agência Incandescente, sócio fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal), atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio), além de participar de programas de aceleração como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros. Palestrando desde 2016 sobre temas como Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência, já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Compartilhe:

Posts Relacionados


5 erros jurídicos que as empresas cometem em Portugal

No artigo de hoje, você verá quais são os cinco erros jurídicos mais comuns que as empresas cometem ao tentar Read more

Portugal, um dos países queridinhos para congressos e convenções

De acordo com o relatório da Associação Internacional de Congressos e Incentivos  (ICCA) relativo a 2019, Portugal foi o 10º Read more

Estações do ano em Portugal

Se você pretende marcar a sua primeira viagem para fora do Brasil, e escolheu o território português como destino, aconselhamos Read more

Conheça os principais feriados em Portugal

Todos ansiamos por uma pausa na rotina e a verdade é que os dias com feriados são os mais esperados Read more